domingo, 20 de fevereiro de 2011

Originais entregues... hora de cobrir o vazio


Essa semana eu entreguei os originais do meu livro De volta à Caixa de Desejos (título provisório).

É um romance juvenil que continua a história da Marília no Caixa de Desejos. Não, não terá um terceiro livro. Inicialmente, não teria nem esse segundo, mas os leitores pediram e, de repente, eu também senti saudades da Marília e da Francine. Mas não havia mais o que contar sobre elas na época de meninas. Então, dei um pequeno salto no tempo e as levei para o início da fase adulta.

Quando o novo livro começa, Marília está a um mês de completar 18 anos. Francine vai completar 20 anos. Só que o princípio da fase adulta traz novos conflitos. O tema dos desejos e do quanto sonhamos com eles está de volta, mas em tons diferentes. Há um personagem masculino muito importante - o Joca - que vem com um sonho muito bem definido: se tornar um jogador de futebol.

Mas a vida não é feita apenas de sonhos, mas de realidade, e muitas vezes de uma realidade pouco palatável. E quando essa realidade se dilui na história da nossa família, seja ela no passado ou no presente, percebemos que é preciso entender muito mais dessa ascendência, para decidirmos nossos próximos passos.

E é assim, às voltas com novos amigos, com o Joca e seu sonho, com as provas de vestibular e com novos conflitos na vida pessoal e em família que Marília aprende que crescer é difícil, doloroso, mas é inevitável.

Há um trecho do primeiro capítulo que fala um pouco desse sentimento.

"A vida tem disso, às vezes não sabemos nem o que pedir. Estamos sempre buscando sonhos e, com eles, a felicidade. Mas do que somos capazes pra realizar esses sonhos? Havia um bom tempo que eu não tinha tantos pedidos pra guardar na caixa. Minha vida corria em paz, eu continuava escrevendo, tinha um namorado, amigos e planejava um futuro como escritora. Mas de repente tudo mudou."

Divulguei também no Twitter (http://www.twitter.com/anacristinamelo) duas frases que dão mais algumas dicas sobre a história:

"Nem sempre as pessoas são o que parecem ser. E nem sempre conhecemos o passado da nossa família".


O livro chegou ao fim. Um livro de cerca de 300 páginas, que me fez aprender muito. Entendi que aprendemos cada vez mais a cada livro que colocamos um ponto final. Talvez esse tenha demorado tempo demais para ser terminado, pois eu estava com medo. Medo de terminar. Medo de colocar o ponto final. Medo de encarar novamente a angústia da aceitação. Mas aprendi que não podemos ter medo. E quando entendi isso, produzi feito nunca, produzi em duas semanas mais do que em dois meses inteiros, e cheguei ao final, e então me veio o vazio, o vazio de ter chegado a esse fim, da história ter sido revelada, da tarefa ter sido concluída.

Falando em tarefa, logo me vem à mente o conto "A troca e a tarefa" da Lygia Bojunga, que está no livro Tchau. Se você não leu ainda, vai lá e compra. Vale a pena. É um livro lindo. E esse conto fala muito dessa angústia do escritor. E nos faz entender que nunca colocamos o ponto final. Apenas criamos mais um degrau, como a imagem que escolhi pra esse post. Não há ponto final. Há apenas um fechamento. É como se fechássemos um livro que acabamos de ler. E para quem tem paixão pela literatura vai entender o que vou falar: quando fechamos um livro, podemos ficar tristes de ele ter acabado, mas logo aplacamos nossa tristeza buscando uma nova história. Pois essa é a mesma sensação de um escritor.

É isso, essa tristeza, esse vazio, precisam ser aplacados. Mas dessa vez, já sei como lidar com meu medo. Ele vai existir, eu vou tremer quando o livro estiver pronto, vou me encolher temendo o que vão dizer, mas agora não posso pensar nisso, preciso continuar, dar o próximo passo, me entregar a novos personagens, aprender mais um pouco. E espero poder continuar esse aprendizado por muito tempo, criando pilhas de livros escritos como aqueles que estão lá no início. E cada vez que eu terminar um texto, que possa ter a vontade de começar outro, abrindo meus sentimentos para o mundo.

Então, conto com vocês para acolher meu próximo filhinho. Previsão: junho de 2011. Se os adultos gostaram tanto do primeiro, que tinha personagens no início da adolescência, tenho esperança que curtam bastante esse também.

E agora vamos a dois novos projetos: um outro livro infantojuvenil e meu primeiro romance adulto. Sobre o que são? Só falo quando colocar o ponto final.

Um lindo domingo pra vocês.

11 comentários:

Mabel Amorim disse...

Lindo texto, Ana, reflete com clareza essa sensação que temos ao escrever a última página. Um beijo no coração e continue nos revelando os segredos e encantos dessa sua caixinha mágica.

Alexandre Brandão disse...

Ana, você fez uma reflexão bem bacana. Gostei disso de aproximar o escritor do leitor.
Até junho ou julho dá para esperar seu livrão (300 páginas, uh!).
Beijos.

Joana Cabral disse...

Ana, quando uma história está dentro de nós, ela nos preenche com a ansiedade de que seja verbalizada. Então vivemos aquele ciclo de dormir e acordar com aquela história na cabeça. Sair para fazer um caminhada e ficar pensando no destino daqueles personagens. O vazio é inevitável e maravilhoso, porque vem junto com a sensação - impossível de se expressar em palavras - da criação!
Sucesso, querida! Seu mundo criativo é rico e generoso, sua narrativa encanta porque é muito positiva!
Beijos

Ana Cristina Melo disse...

Obrigada, queridos.

Também não vai ser fácil até junho, pois agora começa a segunda parte: dar aceite nas revisões, fazer mais duas revisões minhas enquanto ele está em editoração (para não deixar escapar nada), escolher capa, pensar em lançamento... Ufa!

Mas vou arranjar personagens bem companheirões para me fazer companhia nessa espera.

Beijão.

Mireliinha disse...

Olá Aninha!
AMEI a reflexão que vocÊ fez aqui no blog... Uma forma de estreitar os laços entre o escritor e o leitor!
AMEI Caixa de Desejos e vou esperar ansiosamente pela continuação!

Muito sucesso e luz na sua caminhada! Muita inspiração pros projetos vindouros!

Mirela

~ Inteiramente Diva ~

Sumie disse...

Oi Ana,que notícia maravilhosa.Tenho certeza que a continuação fará tanto sucesso como o primeiro livro,vc tem o dom da escrita.
Parabéns e sucesso sempre.
Beijos.

Stefani disse...

Ebaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!! Mais um livro da Ana e melhor é a continuação da sua melhor obra "Caixa de Desejos"!!!

Oi Ana!

Ana estou muito feliz de poder ler mais um livro seu!!! (Risos de uma estraordinaria alegria).

Ana vc vai ir altografar o seu livro na "Bienal do Livro de SP" que nem do ano passado? Se sim, eu iria abusar pedindo mais um altografo, só que no 2º livro.

Ps: Se Deus quiser, após as minhas lições de casas diminuirem, postarei com um enorme praser essa noticia no Blog "Mundo da Leitura ML".
Espero que esse 2º livro te traga mais leitores Basileiro!!!


Bjsss...

Stefani E
Mundo da Leitura ML

Dag Bandeira disse...

É esse seu jeito de falar com a alma, muito mais do que com a razão que faz com que seus textos sejam poéticos, literários e sobretudo verdadeiros.
Ao lançamento!!!!!!!!

Josiane Duarte disse...

Ana, que bela reflexão sobre esse momento do ponto final. Desejo sucesso e vida longa pra seu novo filhote!

Vivi disse...

Ahhh!!! Eu quero ler a continuação!!!
Adorei o primeiro livro e agora estou bem curiosa pra ver os personagens crescidos.

Bjokas!!!

Ana Cristina Melo disse...

Oi, Vivi!

Então pode contar os dias. O primeiro lançamento já está marcado em 18 de junho. :)

Bjs